Os elementais e as pirâmides

piramides queops

Vamos continuar nossos estudos sobre os elementais.

Lembramos que estamos publicando uma série de textos sobre os elementais na visão umbandista, caso você esteja conhecendo agora o Blog sugerimos que leia antes os vários textos que foram publicados sobre a doutrina umbandista e os elementais.

Nesta visão doutrinária separamos bem o conceito de elemental, elementares e espíritos da natureza.

Elemental, como já ficou bem esclarecido nos textos anteriores, é a primeira fase do processo evolutivo das mônadas espirituais.

É quando as mônadas recém-criadas atuam em campos estruturais pertencentes aos primeiros quatro reinos, a saber: Reino do Fogo, Reino da Terra, Reino do Ar e Reino da Água.

Hoje vamos continuar tratando sobre os elementais do Reino do Fogo.

Os sete elementais participantes do reino do fogo ainda não foram “batizados”, ou seja, não possuem nomes.

Lembramos que por enquanto estamos trabalhando com uma nomenclatura simples e racional, obtida através da matriz numérica, que foi apresentada nos textos anteriores e que aguardam para serem “batizados”.

São eles: M11, M12, M13, M14, M15, M16 e M17

Definindo cada um deles:

M11 => Elemental do Reino do Fogo que atua no reino do fogo. É um Elemental que atua diretamente na hierarquia de Ogum

M12 => Elemental do Reino do Fogo que atua no Reino da Terra. É um Elemental que tem ressonância nas vibrações dos Orixás Ogum e Xangô.

M13 => Elemental do Reino do Fogo que atua no Reino do Ar. É um Elemental que tem ressonância nas vibrações dos Orixás Ogum e Iansã.

M14 => Elemental do Reino do Fogo que atua no Reino da Água. É um Elemental que tem ressonância nas vibrações dos Orixás Ogum e Iemanjá.

M15 => Elemental do Reino do Fogo que atua no Reino das Matas. É um Elemental que tem ressonância nas vibrações dos Orixás Ogum e Oxossi.

M16 => Elemental do Reino do Fogo que atua no Reino da Humanidade. É um Elemental que tem ressonância nas vibrações dos Orixás Ogum e Oxalá.

M17 => Elemental do Reino do Fogo que atua no Reino das Almas. É um Elemental que tem ressonância nas vibrações dos Orixás Ogum e Omulu.

Cada um destes elementais tem uma série de qualidades e características, conforme o reino de origem e o reino de atuação.

Sua manifestação, tanto no universo material como no espiritual (Aiyê e Orum),  é muito rica e variável.

Os elementais atuam nos campos estruturais de todos os elementos formadores da natureza, portanto sua presença é notada tanto na matéria, no campo etérico, no estrutural que é formado de campo mental e emocional e no espiritual.

Hoje vamos analisar o Elemental M12.

O Elemental M12 é um elemental do reino do fogo que atua no reino da Terra.

Para entendermos seu campo de atuação vamos lembrar algumas qualidades dos dois reinos envolvidos: Fogo e Terra.

O Reino do Fogo é o primeiro reino, é regido pelo Orixá Ogum, sua cor é o vermelho e suas características são força e energia entre outras características.

Dentro da ritualística umbandista seu elemento é a chama de uma vela, seu símbolo ou sinal riscado pode ser a espada, a lança, o escudo, uma chama.

O Reino da Terra é o segundo reino, é regido pelo Orixá Xangô o Rei das pedreiras, sua cor é o marrom e suas características são as leis, as regras, as medidas, os ritmos, as estruturas, as formas, a solidez.

Dentro da ritualística umbandista seus elementos são as pedras e cristais, assim como todos os pontos riscados; seu sinal riscado é uma pedra, uma pedreira ou  machado de duas lâminas o Oxê.

Agora que já lembramos algumas características dos dois reinos envolvidos, podemos dizer que o Elemental M12 tem como característica:

A energia das formas, a força das estruturas, ele é responsável por manter a ordem,o ritmo, as medidas das estruturas, sejam elas quais foram.

Este Elemental é responsável, entre outras coisas, por manter a organização das estruturais sejam elas  moleculares  ou astronômicas.

E  qual a ligação entre elementais e as Pirâmides?

As Pirâmides de Gizé são estruturas monumentais construídas em pedra. Possuem uma base retangular e quatro faces triangulares  que convergem para um vértice.

A maior delas, com 160 m de altura (49 andares), é chamada Grande Pirâmide.

As grandes pirâmides de Gizé: Quéops, Quéfren e Miquerinos. Foram construídas há cerca de 2.700 anos a.C., desde o início do antigo reinado até perto do período ptolomaico.

As pirâmides de Gizé são um dos monumentos mais famosos do mundo.
Existem pirâmides em vários países e ainda hoje continua um mistério a finalidade destas enormes construções feitas com blocos maciços de pedras.

Existem vários estudos sobre as pirâmides, inclusive com modelos de pirâmides.

Estes estudos nos remetem a uma energia diferente que existiria dentro das pirâmides.

Esta energia possui a característica de conservar os alimentos e atualmente existem algumas experiências no uso médico das pirâmides.

Por volta de 1930, Antoine Bovis, um pesquisador francês, visitava o interior da pirâmide de Quéops e lá descobriu alguns ratos que, apesar de estarem mortos há vários dias, não apresentavam nenhum sinal de decomposição em seus corpos. Alguns, que certamente haviam morrido há mais tempo, tinham desidratado de tal maneira que mumificaram!!!….

Então, Bovis colocou num dos corredores da pirâmide um punhado de grãos de trigo e uma porção de carne  fresca de carneiro. Três dias depois, voltou ele  àquele corredor e verificou, não sem espanto, que apesar da umidade que havia no interior da pirâmide, a carne continuava tão fresca como quando ele lá a deixou dias atrás e o mais impressionante, os grãos de trigo haviam germinado!!!…

Terminada a pesquisa que ele fazia no Egito, retornou a Paris e lá construiu uma réplica de madeira, em miniatura, da pirâmide de Quéops. Ele obedeceu fielmente as proporções físicas e a orientação magnética do original. Com este modelo começou a fazer suas próprias experiências.

A primeira coisa que fez foi colocar no interior da pirâmide um gato morto que ele havia encontrado nas vizinhanças de sua casa. O milagre do Egito se repetiu em sua casa, o gato desidratou mas não apodreceu. (1)

Estas experiências, segundo dizem alguns autores, teriam despertado no início do século passado o interesse mundial pelos fenômenos produzidos pelas formas piramidais.

Assim, parece ter acontecido com o engenheiro tcheco de radiocomunicação Karel Drbal, que associou as experiências de Bovis com as lembranças do tempo em que servia o exército e via seus colegas afiarem suas lâminas de barbear, expondo-as a luz da lua. Tal associação culminou na criação de um “Método de manutenção de lâminas de barbear e de navalhas”, o que em síntese era um arranjo para afiar lâminas usando-se uma réplica da pirâmide de Quéops, cuja patente foi publicada na República da Checoslováquia, em agosto de 1959, sob o número 91.304. (2)

Dizem os pesquisadores, que esta energia misteriosa existente dentro das pirâmides,  tem como principal característica manter as estruturas sejam elas orgânicas ou inorgânicas.

No caso das frutas e da carne a energia piramidal mantém a estrutura das moléculas, mesmo com a desidratação dos alimentos.

Já no caso da lâmina de barbear que após perder o “corte”, colocada dentro da pirâmide volta a ficar “afiada” novamente; dizem os pesquisadores  que a energia misteriosa das pirâmides organiza  a estrutura atômica da lamina de barbear o que faz voltar o “corte” da lâmina.

Seria portanto uma força organizadora ou mantenedora das estruturas.

Se perceberem verificarão que a energia existente dentro de uma pirâmide possui a mesma característica do Elemental M12.
Ela tem a característica de manter a forma das estruturas moleculares ou atômicas, como mencionamos no início deste texto.

Existem muitos artigos, vídeos e livros que podem ser encontrados na Internet tratando sobre a energia das piramides.

A característica do Elemental M12 é exatamente a energia das formas, organizar as formas ou manter as estruturas.

A partir dos estudos da doutrina umbandista dos sete reinos sagrados, podemos levantar a hipótese de que as pirâmides seriam condensadores dos elementais M12.

Para finalizar lembramos que as pirâmides foram feitas com blocos enormes de pedras e que o significado da palavra Pirâmide não vem da língua egípcia. Ela se forma da palavra grega “pyra” que quer dizer fogo, luz  e “midos” que quer dizer medidas.

Será pura coincidência o Elemental M12 ser um elemental do reino do fogo (energia) atuando no reino da Terra que tem como característica principal ordem, leis, regras e medidas?

Saravá!

São Vicente, 10/03/2013

Manoel Lopes

Obs.: ESTE TEXTO PODE SER REPRODUZIDO, DESDE QUE SEJA NA ÍNTEGRA E QUE SEJA CITADA SUA ORIGEM

Registre seu comentário, suas sugestões e críticas!

Referências:

(1)    http://www.imagick.org.br/pagmag/piramide/piramide.html

(2)    http://www.radiestesiaecia.com/2011/09/metodo-para-amolar-laminas-de-barbear.html

(3)    http://piramidal.net/2008/04/20/o-afiador-de-laminas-de-barbear/

(4)    http://pt.wikipedia.org/wiki/Poder_da_Pir%C3%A2mide

 

 

2 Responses to Os elementais e as pirâmides

  1. Sensacional o artigo, me ajudou muito.

  2. daniel barbosa

    tem como me enviar materia sobre exus e suas funçoes eu queria de varios se fosse possivel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Featured Posts

As Sete Linhas da Umbanda

As Sete Linhas da Umbanda

agosto 28, 2014   2

Juramento de Coroação do Núcleo Mata Verde

Juramento de Coroação do Núcleo Mata Verde

maio 11, 2014   0

Hospitais Naturais

Hospitais Naturais

março 02, 2014   2

A reencarnação, a alma e o espírito

A reencarnação, a alma e o espírito

janeiro 18, 2014   1

Curso a distância - Oferendas na Umbanda

Curso a distância – Oferendas na Umbanda

janeiro 15, 2014   2

Retrospectiva 2013

Retrospectiva 2013

dezembro 29, 2013   0

Categorias