A força espiritual exu e os sete reinos sagrados

dark-ritual

Hoje continuaremos a escrever e estudar sobre Exu na visão doutrinária do Núcleo Mata Verde.

Este é um assunto muito complexo e por isso bastante polêmico; neste artigo estaremos levantando mais uma pontinha do véu.

Assim como a força dos Orixás  é sentida através de sua manifestação na natureza, a força espiritual exu também  é percebida através de sua manifestação na natureza.

Neste texto estaremos designando o orixá Exu como “força espiritual exu”, neste caso estamos tratando sobre o orixá primordial Exu.

Já tivemos oportunidade de apresentar três textos que trataram do Exu como espíritos trabalhadores da umbanda.

Também nos demais textos abordamos as diferenças existentes entre:

Exu na Quimbanda,

Exu na Umbanda e

Exu no culto de Nação.

Já sabemos que, embora sejam conhecidos pelo mesmo nome, são conceitos totalmente diferentes.

Para que possamos continuar nos aprofundando no assunto em questão, recomendamos que leiam os textos anteriores:

EXU E OS SETE REINOS SAGRADOS – http://www.blog.mataverde.org/archives/1360

EXU PAGÃO E EXU DE LEI – http://www.blog.mataverde.org/archives/1131

EXU O GUARDIÃO DO TEMPLO – http://www.blog.mataverde.org/archives/1064

É altamente recomendável que você já tenha algum conhecimento sobre a doutrina dos Sete Reinos Sagrados.

Entre os vários artigos publicados neste Blog, recomendamos também a leitura dos textos:

AS SETE FORÇAS PRIMORDIAIS E AS SETE LINHAS DA UMBANDA –

http://www.blog.mataverde.org/archives/513

FORÇAS ATIVAS E PASSIVAS –

http://www.blog.mataverde.org/archives/612

Caso ainda não conheça a doutrina dos sete reinos sagrados, recomendamos que faça os CURSOS oferecidos no portal de ensino a distância do Núcleo Mata Verdewww.ead.mataverde.org.

Feito estas considerações preliminares, vamos iniciar nosso estudo sobre a “força espiritual exu”.

Sabemos que o criador se manifesta em nossas vidas através das diversas hierarquias espirituais existentes.

Estas hierarquias espirituais, comandadas pelos orixás primordiais, dão origem às sete forças primordiais, aos sete reinos sagrados e as sete linhas da umbanda.

As sete hierarquias espirituais primordiais é que dão a sustentação a todo o universo.

Estes são os sete reinos sagrados e os respectivos orixás regentes:

1)Reino do Fogo – regido por Ogum

2)Reino da Terra – regido por Xangô

3)Reino do Ar – regido por Iansã

4)Reino das Águas – regido por Iemanjá

5)Reino das Matas – regido por Oxossi

6)Reino da Humanidade – regido por Oxalá

7)Reino das Almas – regido por Omulu

 

Conforme já estudamos no texto EXU E OS SETE REINOS SAGRADOS, não existe um Reino especifico para o orixá Exu, pois exu se manifesta em todos os reinos.

 

O que é Exu?

A palavra EXU é de origem africana, originária do idioma Yorubá e seu significa é ESFERA.

EXU chegou até a umbanda através dos cultos de Nação, da mesma forma que os demais orixás, pois é uma divindade do panteão nagô e em algumas situações é interpretado como o “criado” dos orixás, ou o intermediário entre os Orixás e os Homens.

Também é de conhecimento de todos que a “força espiritual exu” é responsável por todas as encruzilhadas.

Popularmente é sabido que Exu é aquela “força espiritual” que se encontra mais próxima dos homens, também é considerada a “força espiritual” responsável pelo vigor e vitalidade.

É o Orixá guardião das aldeias, cidades, casas e Terreiros.

No culto de Nação, Exu recebe diversos nomes, de acordo com a função que exerce ou com suas qualidades: Elegbá ou Elegbará, Bará ou Ibará, Alaketu, Agbô, Odara, Akessan, Lalu, Ijelu (aquele que rege o nascimento e o crescimento de tudo o que existe), Ibarabo, Yangi, Baraketu (guardião das porteiras), Lonan (guardião dos caminhos), Iná (reverenciado na cerimônia do padê).

Após estes conceitos tradicionais sobre o Exu Orixá, ou força espiritual primordial iremos agora apresentar o conceito de Exu na visão doutrinária dos Sete Reinos Sagrados.

Vamos destacar algumas considerações sobre exu:

Exu é o criado do orixá, ou seja, para cada orixá existe um exu que faz a intermediação.

Exu como intermediário entre o Orun e o Aiye.

Exu como guardião das entradas.

Exu como senhor das encruzilhadas.

Exu responsável pela vitalidade e vigor.

Estas características de exu já são suficientes para iniciarmos nossos estudos.

Lembrando que neste artigo não estamos tratando daqueles espíritos, que viveram na Terra, e que agora trabalham na quimbanda ou na umbanda e recebem a denominação de exus; estamos estudando a força espiritual primordial que é conhecida por ORIXÁ PRIMORDIAL EXU.

 

O Primeiro Exu

Faremos este estudo utilizando algumas imagens.

No principio existia somente o Orun, o mundo espiritual, o extra-físico que dentro da doutrina dos sete reinos sagrados é representado pelo REINO DAS ALMAS.

Iniciaremos este estudo, portanto, com o Reino das Almas, que será representado pelo circulo preto, que é a cor deste reino.

reino_almas

Em determinado momento, houve o Fiat Lux que significa “Faça-se a Luz” ou “Haja Luz”.

Deus criou o mundo!

É neste momento que surge o universo material que conhecemos.

É a grande explosão inicial, o “Big Bang”.

Na doutrina dos Sete Reinos Sagrados este momento da criação é representado pelo primeiro reino, o Reino do Fogo que tem a cor vermelha; também é neste instante da criação, na passagem do Orun para o Aiyê, que verificamos a primeira  manifestação do primeiro orixá primordial Exu a “energia espiritual Exu”.

A imagem abaixo representa o momento da criação do universo material.

reino_fogo_almas

 

Observe na imagem abaixo que na passagem de um reino para o outro temos a primeira encruzilhada de Exu.

reino_fogo_almas_encruzilhada

A energia espiritual da passagem é que chamamos de exu.

Repare nas cores dos reinos envolvidos nesta primeira manifestação de exu, são a preta e a vermelha, cores muito utilizadas na umbanda para representar Exu.

A “força espiritual exu” por estar na passagem do Orun para o Aiye é o elo entre a matéria e o espírito, entre os homens e os orixás.

O estudante também já sabe que os sete reinos sagrados formam uma sequência  onde o sétimo e último reino é o reino das almas, na sequencia retornando o primeiro reino que é o reino do fogo, portanto a energia espiritual exu é, ao mesmo tempo, a primeira e a última energia do ciclo das sete forças primordiais.

“Assim o mais novo dos orixás,
O que era saudado em último lugar,
Passou a ser o primeiro a receber os cumprimentos.
O mais novo foi feito o mais velho.
Exu é o mais velho, é o decano dos orixás”. (PRANDI, 2002. p. 43-44)

A “força espiritual exu” é mais intensa sempre nos lugares de entrada ou saída (nas passagens), seja na praia, nas matas, no cemitério etc…

Quando entramos em uma residência (entrada) ou quando entramos num Terreiro (tronqueira) estaremos atravessando uma região onde a energia espiritual exu vibra com muita intensidade.

Importante chamar a atenção que a força espiritual exu  no exemplo acima, não pertence nem ao reino das almas e nem ao reino do fogo, pois sua ação se processa  na transição dos reinos.

 

A Ligação do orun com o Aiye

Ficou claro que exu é a força de ligação entre o Orun e o Aiye, entre o mundo espiritual e o mundo material.

Como existem sete reinos, temos portanto sete exus (forças espirituais) vinculadas a cada um dos reinos.

Também existem exus nas mudanças entre os reinos.

Exemplificaremos com o reino do fogo:

Fogo-Fogo  – É a força espiritual exu do próprio reino

Fogo-Terra – transição entre o reino do fogo e o reino da terra

Fogo-Ar – transição entre o reino do fogo e o reino do ar

Fogo-Água – transição entre o reino do fogo e o reino da água

Fogo-Matas – transição entre o reino do fogo e o reino das matas

Fogo-Humanidade – transição entre o reino do fogo e o reino da humanidade

Fogo-Almas – transição entre o reino do fogo e o reino das almas

Como temos sete reinos teremos então vinte e oito (28) “forças espirituais exus”, sendo sete (7) vinculadas a cada reino e vinte e uma (21) das transições dos reinos.

 

Exu energia vital

Quando estudamos a estrutura da matéria, conforme a doutrina dos sete reinos sagrados, temos a seguinte configuração:

Corpo físico (massa) – manifestação material

Corpo etérico (campo eletromagnético) – manifestação material

Corpo estrutural  (campo mento-emocional – corpo espiritual) – manifestação espiritual

Espírito (essência espiritual) – manifestação espiritual

O elo entre o corpo etérico e o corpo espiritual é a “força espiritual exu”, sendo desta forma o elemento da vitalidade do corpo humano.

estrutura_espiritual

Para um melhor entendimento recomendamos que leia os artigos:

ESTRUTURA DA MATÉRIA – AIYÊ E ORUN – http://www.blog.mataverde.org/archives/688

MATÉRIA E ESPÍRITO – http://www.blog.mataverde.org/archives/1072

A MATÉRIA E O ESPÍRITO – http://www.blog.mataverde.org/archives/340

 

Exu e a polaridade

Como a “força espiritual exu” existe sempre nas passagens, nas mudanças; fica fácil perceber que esta energia existe e se manifesta quando existem polaridades.

É de certa forma e força responsável pelo equilíbrio da polaridade, equilíbrio dos opostos.

Luz e trevas

Verdade e mentira

Espírito e matéria

Certo e errado

Homem e mulher (energia sexual)

Frio e quente

Amor e ódio

Riqueza e pobreza

Saúde e doença

Vida e morte

Guerra e paz

Construir e destruir

Liberdade e prisão

Dentro e fora

 

É Perigoso manipular esta força?

Como qualquer força espiritual, sempre é preciso muito cuidado e conhecimento.

Por ser uma força que dá o equilíbrio entre situações antagônicas, sempre será necessário muito cuidado ao ativar uma destas forças.

Uma pessoa, sem os conhecimentos necessários, poderá querer estimular a “força espiritual exu” para obter o amor e poderá obter o ódio.

Ao querer a riqueza poderá desequilibrar a polaridade e obter a pobreza.

Ao querer  a saúde poderá piorar a doença; ao invés da vida obterá  a morte.

Ao pensar estar trabalhando para a Luz estará preso pelas trevas.

 

Há um mito, no qual Exu vinga-se por causa de um ebó feito com displicência.

De acordo com o mito, um lavrador que precisava de chuvas para irrigar seus campos secos ofereceu um ebó para Exu.

No entanto, preparou-o de forma displicente, apimentando-o e deixando Exu com muita sede. Com sede, Exu, abriu a torneira da chuva, fazendo com que a água jorrasse incessantemente, inundando e pondo em risco toda a colheita.

Após refazer o ebó cuidando para que a comida estivesse no ponto, Exu o aceita e estanca a chuva.

Dentre os diversos mitos sobre Exu podemos concluir que:

“São muitas as tramóias de Exu.
Exu pode fazer contra,
Exu pode fazer a favor.
Exu faz o que faz, é o que é”.

 

Os Guardiões que trabalham na umbanda são especialistas e “senhores do conhecimento” no uso e movimentação desta força espiritual.

 

Exu o senhor do umbral

Segundo o dicionário Aurélio a palavra umbral foi tomada do espanhol e significa soleira, limiar, entrada, ou seja, a faixa mínima de piso que se acha entre as laterais de uma porta, portão ou passagem, e serve de limite entre um cômodo e outro numa construção.

É muito comum, entre os espíritas, o conceito de umbral que foi introduzido através das obras de André Luiz.

Seria uma zona intermediária entre a matéria e o mundo espiritual mais elevado.

A palavra Umbral, escrita com letra maiúscula, como o fez André Luiz no livro Nosso Lar, tomou significado especial, principalmente entre os espíritas, designando a região espiritual imediata ao plano dos encarnados, para onde iriam e onde estariam todos os espíritos endividados, perturbados e desequilibrados depois da vida.

É uma região intermediária para ajustamento espiritual, onde existe muito sofrimento, mas inevitável para que o espírito possa passar para planos mais elevados.

Como acabamos de estudar acima, é esta uma região onde vibra a “força espiritual exu”.

Exu é portanto o Guardião do Umbral.

 

Os Guardiões da Umbanda

Como já estudamos, nos diversos textos publicados aqui no Blog, existem espíritos que trabalham na vibração de exu, da mesma forma que existem espíritos que trabalham nas vibrações dos orixás e que chamamos de hierarquias espirituais.

Os exus (espíritos) sempre estarão vinculados a esta “força espiritual exu”, conforme estudamos acima.

São chamados de Guardiões por estarem sempre nas entradas ou nas saídas ou nos momentos de mudança.

Existem aqueles ligados as forças da vitalidade, da energia sexual, na morte (saída para o orun) ou no nascimento (entrada para a vida).

 

A Hora de Exu

Existe alguma hora que esta força vibre com mais intensidade?

Sabemos que para exu não existe hora nem lugar, mas podemos entender com facilidade que existe um momento do dia onde esta “força espiritual exu” vibra com mais intensidade.

É na hora da passagem de um dia para o outro; na hora quando um dia termina e outro dia começa.

É a meia noite!

Esta é a hora de Exu!

 

Ativando a energia exu

É possível intensificar esta força espiritual existente na natureza.

Na doutrina dos Sete Reinos Sagrados manipulamos esta força espiritual sempre que é necessário utiliza-la na proteção, ou na recuperação da saúde.

Por ser uma força espiritual  muito abundante na natureza e ainda muito mal entendida, este conhecimento somente é passado dentro do templo aos iniciados.

Mas a base de sua movimentação é a polaridade.

 

Não esgotamos o assunto, e sabemos que existe muita coisa ainda a ser estudada sobre esta energia maravilhosa que é exu.

Mesmo os tópicos que abordamos, poderão ser melhor desenvolvidos em outros textos.

Laroyê Exu!

Saravá!

 

São Vicente, 15/01/2015
Manoel Lopes

 Obs.: Registre seus e comentários, criticas e sugestões. Fique a vontade para copiar este artigo,pedimos somente que cite a origem.

Referências:

Mitologia Africana:  http://www.africaeafricanidades.com.br/documentos/mitos_exu_ordenamento_conduta_historia_exemplar.pdf